Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Júri popular condena três réus por homicídio ocorrido em Roca Sales

O Fórum de Encantado sediou durante a quarta-feira, dia 24 de abril, o júri popular de quatro acusados da morte de Mateus Cacimiro Dias. A sessão foi comandada pela juíza Jacqueline Bervian.

Foram julgados os réus Dionatan Michel Machado Cordeiro, Jucie Luis Balz, Leandro Vasconcelos Salvador e Israel da Costa. Na defesa, atuaram a defensoria pública, e os advogados Carlos Henrique Rodrigues dos Santos, José Felipe Lucca e Carlos Alberto Sandoval. A acusação ficou com o Ministério Público, através do promotor André Prediger.

O júri concluiu pela condenação de três dos acusados. Jucie Luis Balz foi condenado a oito anos de prisão em regime fechado. Leandro Vasconcelos Salvador e Dionatan Michel Machado Cordeiro pegaram sete anos de reclusão, cada um, em regime semi aberto. Os três foram condenados pelo crime de homicídio simples. Israel da Costa foi absolvido pelo júri.

Ameaça de bomba

No início da tarde, a Brigada Militar interditou algumas ruas próximas ao fórum e proibiu o acesso do público ao prédio. O bloqueio ocorreu depois de a guarnição receber informações de que haveria um artefato explosivo no local. Policiais fizeram fiscalização e o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) foi acionado, enquanto o julgamento transcorreu normalmente. Ninguém foi preso.

O crime

O homicídio ocorreu em 2 de junho de 2014, na rua Emílio Lengler, no Centro de Roca Sales. Conforme a investigação, Mateus Cacimiro Dias, de 26 anos, ao sair em licença temporária do Presídio Estadual de Lajeado, em novembro de 2013, contraiu uma dívida de R$ 200. Alguns dias depois, Mateus, que estava foragido, foi preso novamente, e não pagou a dívida. Em 29 de maio de 2014, ele saiu da prisão como detento do regime semi aberto, e a dívida voltou a ser cobrada. Dias chegou a discutir com os credores em uma festa, e foi estipulado que o valor deveria ser pago no dia 1º de junho, mas a vítima não teria cumprido o combinado.

Na noite de 2 de junho, os credores armaram uma emboscada para Mateus, próximo ao CTG Tropeiros da Amizade. Ele foi morto com um tiro na nuca.

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Segunda, 14 Outubro 2019 05:35